MBG Live #06 – Copa do Brasil e Pré-Libertadores

Saudações tricolores!

Grêmio perdeu o título da Copa do Brasil e encerramos oficialmente a temporada 2020. Na última segunda Gabriel Pinto, Fane Webber, Anderson Kegler e Rodrigo Azevedo gravaram uma live para comentários finais desta derrota.

Na pauta do programa também a Pré-Libertadores que já começa nessa semana, além das expectativas para a temporada que já inicia conturbada. Renovação de contrato do Renato, Romildo abrindo a mão, jogadores velhos e utilizar a base também entra na conversa.

Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

Sirvam nossas façanhas…

Esse texto não foi escrito depois da final da Copa do Brasil. Escrevo mais de 24h antes do primeiro jogo, enquanto ainda consigo ter os últimos suspiros de lucidez antes de ser envolvida na famosa “função de jogo”.

Não que tenha grande função de jogo. O Estado está em bandeira preta. As UTIs estão lotadas e infelizmente os números de mortos por conta do Coronavírus são os maiores de todos os tempos no Rio Grande do Sul. Mas o esporte, essa prática lúdica de entretenimento, ganhou importância exagerada na nossa sociedade e economia. 

Enfim, enrolei essa abertura do texto para, finalmente, no terceiro parágrafo dizer que o título é um recurso fácil de engajamento chamado click bait. É uma isca para o desavisado compartilhar esse conteúdo, mesmo até sem ler. Os mais experientes não usavam essas expressões em inglês, chamavam de “pega-ratão”. Expressão que honestamente prefiro.

Mas então: venho aqui com esse “pega-ratão” para fazer diferente de certos dirigentes que pregam contra alguma coisa só depois que não podem mais se beneficiar delas. Me refiro ao episódio que foi defendida a profissionalização da arbitragem ao final do campeonato brasileiro como bode expiatório para atividade de campo. Não é que eu não concorde com a profissionalização, mas eu falo isso o ano inteiro e não só quando me é politicamente interessante.

Minha proposição é de que agora que a Copa do Brasil passou o Grêmio possa finalmente prestar atenção e se organizar de fato e não apenas da boca para fora. 

Sirvam nossas façanhas de modelo à toda terra após essa final da Copa do Brasil. 

Um clube de futebol profissional deve e merece ser administrado como um clube de futebol profissional. Não importa o resultado da final, peço que se aprenda que uma campanha como a de 2020-21 sirva de aprendizado do que não se pode cometer, principalmente em um ano de crise. A pior coisa em uma crise é a falta de planejamento e a criação de uma expectativa irreal. 

Não podemos começar um ano com contratações infelizes como foi o que passou. Não importa a conversa pra boi dormir que o Romildo diga, o Grêmio contratou mal na temporada que passou (“pra boi dormir”, outra expressão usada há não muito tempo e que adoro). A falta de planejamento se evidencia quando se contrata jogadores que simplesmente não se encaixam no esquema tático.

Será que a mudança de um futebol propositivo e de posse de bola para um modelo reativo e de domínio de espaço foi intencional? Porque se foi, é pior ainda. Alguém está enganando alguém e todos estão enganando uma torcida. Notamos que deixar nossa zaga completamente exposta e dependente de brilhantismos individuais não foi a melhor opção durante o ano, vamos repetir essa ideia? 

Sei lá, a temporada passada foi a do empate. A temporada do abandono do campeonato brasileiro e da equipe que decolou apenas por duas semanas (em novembro) porque foi isso que a preparação física permitiu (e olha a tabela do campeonato estava pronta desde junho).

Diferente de um certo dirigente que só reclamou porque o campeonato acabou, e não o favoreceu, escrevo isso antes.

Antes dos resultados das duas partidas para dizer com consciência tranquila que se o Grêmio venceu, foi apesar de tudo isso. E se perdeu, foi também por conta de tudo isso. 

Renato Portaluppi. No dia 27 de fevereiro, tanto o Grêmio quanto o técnico não tinham certeza se seguiriam o resto da temporada.

Finalizo com o importante fato que até o momento não sei se no dia 8 de março os atletas do Grêmio vão ainda responder às ordens de Renato Portaluppi. 

Renato é alguém que sou eternamente grato por esse tempo no Grêmio e por viver esse sonho louco que é transformar esse clube administrado como aquela padaria de Guaporé, em algo maior que os esforços políticos transparecem fazer. 

Estou falando de 15 dias do passado e não sei quem é o técnico da temporada 2021 e sabe o que é pior? Eu não sei se o próprio Grêmio sabe.

Se tudo ocorrer mal, estaremos jogando a primeira fase da Libertadores em breve. Desastre.

Existe um esforço HERCÚLEO de fazer algo nas coxas e não é um problema só gremista, mas nossa incompetência não nos faz tirar proveito desse cenário generalizado no nosso esporte. Vivemos pela lei do menor esforço.

Sirvam nossas façanhas de modelo à toda terra” diz o hino estadual. Esse é o pega-ratão que provavelmente não foi entendido. Afinal de contas, “nossas façanhas” podem muito bem ser algo como: “Veja tudo isso que foi feito e não repita os mesmos erros!”.

De modelo à toda terra.

Fane Webber

Quem diz entender o futebol gremista está mentindo

Temos que escrever, comentar e apontar agora simplesmente porque fazer isso na semana da final é coisa de pau no cu: Será que seremos competitivos nessa final da copa do brasil? Será que poderemos surpreender a todos e levantar a taça da copa pela sexta vez na história?

O torcedor que diz entender o futebol praticado pelo Grêmio está mentindo ou nunca entendeu do esporte. É impossível achar um padrão de jogo, ao menos um padrão positivo, para o que está se aplicando em campo de novembro para cá.

Quando o Grêmio achou seu estilo de jogo, ao menos algo próximo disso, nessa temporada era um futebol veloz de contra-ataque e fulminante. Os meses foram passando desde a conquista do Gauchão e parece que nossa curva de desenvolvimento já atingiu o auge e agora volta a descer.

Quem diz entender o futebol gremista está mentindo
Foto: Lucas Uebel

O medo de acordar um dia e ver jogadores sendo ressuscitados para jogar a final é gigante. Robinho jogando de meia no jogo de volta da final! Essa ideia é realmente assustadora, mas como posso esperar algo diferente?

Reza a lenda que o Renato é, além de tudo, um cara que consegue inspirar os jogadores. A grande dúvida que fica na minha mente é quem vai inspirar o cara que deve inspirar nosso time?

A confiança no time está abalada. Não sei como está a confiança do time, se eles confiam neles mesmos. Reza a lenda que o Renato é, além de tudo, um cara que consegue inspirar os jogadores. A grande dúvida que fica na minha mente é quem vai inspirar o cara que deve inspirar nosso time? Renato parece triste, distante…

Avançando no assunto, deixo claro que não sou daqueles chatos que acham que o Grêmio não deveria fazer rodízio de seus jogadores. Eu, na verdade apoio, pois acredito que um grupo forte e testado é melhor que um grupo dependente sempre dos mesmos.

O que me intriga é que gostaria de ver um fio que conecta, uma diretriz, uma ideia central tática que oriental os onze jogadores em campo. Isso não parece que está acontecendo. Será que acabaram as ideias do Grêmio? E se acabou, acabaram assim, sem mais nem menos? Não teremos mais um fator surpresa para apresentar ao adversário? Devo jogar a toalha? Isso eu me recuso, Grêmio.

Para finalizar, são muitos assuntos e quero evitar me estender demais, porque alguns jogadores são punidos com o ostracismo e outros não? O que acontece com Darlan?

E já que esse texto é mais para fazer perguntas do que para respondê-las, agora faço a derradeira: Qual o aprendizado e amadurecimento que levaremos dessa temporada para a próxima? A única certeza que temos é do calendário igualmente agonizante e apertado. 


Fane Webber

Mesa de Bar do Grêmio #340

Faaala galera tricolor!

Mesa de Bar do Grêmio DE NATAL. Completo em edição extendida com Rodrigo de Azevedo, Gabriel Pinto e Anderson Kegler.

Pauta do programa:

  • Envelhecimento do elenco? Cascudos vs dinamismo
  • Todo final de temporada: Renato, sai ou fica?
  • Arena do Grêmio: 8 anos de lembranças e memórias boas

Nesse final de ano, o MBG renova as esperanças (e a corneta) junto com o tricolor e deseja a todos os ouvintes um 2021 de saúde e títulos.

Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

MBG Drops #64

Feitoria!!

Drops da semana chegando para falar do Grêmio INVICTO há muito tempo que nem lembro mais.

Fane Webber, Anderson Kegler e João Hernandez deixam seus pitacos sobre mais uma vitória tricolor no Brasileirão, o G4, a malemolência do meio campo e as expectativas para as quartas-de-final da Libertadores contra o Santos.

Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

Mesa de Bar do Grêmio #339

Falaaaa galera tricolor!

Edição completa do MBG chegando com Rodrigo de Azevedo, Fane Webber, Gabriel Pinto e Anderson Kegler.

Na falta do que cornetear no time, pautamos cornetas específicas nos GOLEIROS do Grêmio. Do que vivem, se alimentam e onde borboleteiam a cadeia tricolor de guarda-metas. Do profissional até a base.

Também analisamos embasadamente o nível de AMOR E ÓDIO ao treinador Renato Portaluppi. O maior técnico da história tricolor passa na lâmina afiada dos comentaristas.

Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

Renato não é técnico, mas…

Ora, obviamente critico o trabalho do Renato.

Sou gremista, gosto de futebol e vejo os erros do time em alguns jogos que poderíamos ter vencido. Não é fácil, mas são inevitáveis a crítica e a corneta, às vezes. Quando se trata de GRÊMIO sou mais passional do que gostaria, afinal torcer não é um ato racional. Porém, não cogito outro técnico a frente do TRICOLOR! Não consigo ver no Brasil outra pessoa capaz de comandar e controlar um grupo como faz Portaluppi.

O GRÊMIO nesses últimos anos, venceu títulos importantes e, principalmente, fez inúmeras campanhas consistentes! Não é fácil estar sempre entre os primeiros colocados, ainda mais com um calendário e orçamentos como os nossos.  O time mudou muito desde a Copa do Brasil de 2016 (que golaço do Luan contra o Cruzeiro, vocês ainda lembram?), ainda assim, com toda essa transição e com os inúmeros erros de contratação, Renato nos mantém sempre na ponta de cima de TODAS as competições. Poderíamos ter vencido mais alguma? Talvez, não sei. O difícil de ser campeão é que sempre há outro time que também quer a taça!

Vários técnicos muito festejados não resistem nem em clubes com menos pretensões e com torcidas menos fanáticas, o GRÊMIO é uma panela de pressão e aqui sempre se quer a Copa! O time está em transição, precisamos ter paciência. Vejam 2020 com todas as críticas, estamos na semi-final da Copa do Brasil e o Flamengo que é cantado em prosa e verso está fora, o Atlético-MG está fora, Santos está fora… Vamos analisar o desempenho geral às vezes, sair da análise pontual de um jogo. Brasileiro controlado e oitavas da Libertadores, não esqueçam que classificamos e primeiro do grupo. Ah, vencemos o gauchão, que não é nada, dizem, mas experimenta não ganhar…

Quando Adalberto Preis trouxe o Renato, lá em 2016, ouvimos inúmeras pessoas dizendo que Renato não era técnico, era motivador ou outro adjetivo depreciativo qualquer. Eu sempre achei que ele era o técnico que o GRÊMIO precisava para mudar uma história que se arrastava triste e cansativa. Ainda hoje acho isso! Renato não é técnico, mas está aí nos mantendo no famoso “outro patamar”, ou algum outro clube do Brasil está na mesma situação do GRÊMIO há tanto tempo? Acho que não.

Aos que acham que Renato já deu o que tinha que dar, pergunto: quem? E não me venham com técnicos que não deram certo nem em times nível série B.

Renato, na minha opinião, fica para 2021, 2022… 2025! Os entendidos que apresentem quem faça melhor. E peço categoricamente: sem soluções mágicas!


Anderson Kegler

Mesa de Bar do Grêmio #334

Faaaala galera tricolor!!

MBG #334 oriundo de uma LIVE. Isso mesmo, após fazermos uma live no youtube para falar abobrinhas por quase duas horas, editamos e trazemos o podcast deste início de julho.

Ainda sem futebol oficialmente, elaboramos uma pauta especial para o programa:

  • Top 5 gols do Patrício
  • Saudades de Luan Guilherme
  • Vestimentas e looks de Renato Portaluppi
  • Corneta desenfreada no Marketing tricolor

Nessa gravação temos Rodrigo de Azevedo na âncoragem, Gabriel Pinto, Fane Webber e Anderson Kegler nos pitacos e ainda a participação dos padrinhos que acompanharam a live.

Fiquem em casa e espalhem a palavra do MBG.

MBG Drops #49

Falaaa galera tricolor!

MBG Drops chegando no meio da quarentena para tocar aquela corneta marota nesse retorno das atividades futebolísticas no Grêmio.

Gabriel Pinto, Anderson Kegler e Fane Webber deixam seus pitacos sobre a volta dos treinamentos no CT e o dilema de Renato Portaluppi que está SEM TETO em Porto Alegre.

Fiquem em casa e ouçam a palavra do MBG.