Mesa de Bar do Grêmio #338

Faaala galera tricolor!!

Rodrigo Azevedo apresenta o programa completo do MBG com as ilustres participações de Fane Webber, Gabriel Pinto e Anderson Kegler.

Na pauta deste programa tem Everton Cebolinha e a fofoca das redes sociais. Diogo Barbosa, onde vive, do que se alimenta, qual contribuição dará ao tricolor. Corneta na diretoria, no Renato, na base, na gente e em tudo que tiver mais pra falar porque a corneta é o músculo forte do torcedor.

Ouça, comente e espalhe a palavra do MBG.

MBG Drops #53

Feitoria!!

Edição semanal do drops chegando com Fane Webber trazendo as manchetes da hora. Na pauta o Brasileirão e os empates contra Flamengo e Vasco, a final do eterno Gauchão contra o Caxias e os mais novos reforços que chegaram para o grupo principal.

Nos comentários, Gabriel Pinto e Anderson Kegler deixam seus pitacos embasados e de qualidade.

Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

MBG Analisa – Brasileirão + Everton

Saudações tricolores!

No programa de hoje vamos falar de alguns números do inicio do Grêmio no Brasileirão. A performance do time nos 4 jogos até agora ao qual seguimos invictos. Na pauta também a mais nova contratação, Everton.


Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

Mesa de Bar do Grêmio #336

Falaaaa galera tricolor!

Edição completa do MBG chegando com Rodrigo de Azevedo, Fane Webber, Gabriel Pinto e Anderson Kegler.

Na pauta desse programa tem tudo sobre o GREnal da final do segundo turno. Comentários pertinentes sobre a grande vitória e também sobre a despedida do Éverton.

Ainda falamos de Gauchão, da estreia do Brasileirão e aquela corneta final de despedida do André.

Ouçam e espalhem a palavra do MBG.

Baile de despedida

Sabe aquela sensação de dever cumprido e que você só tá esperando o desfecho da melhor maneira possível? Pois é. Certamente é isso que deve ter passado na cabeça do Everton antes do jogo. E deu tudo certo no fim.

Talvez tenha faltado o gol para coroar mais uma grande atuação do camisa 11 tricolor. Foram praticamente 2 assistências, teve caneta, chapéu e pra fechar com chave de ouro: braçadeira de capitão e levantamento de taça.

Tudo isso num GREnal.

A entrevista pós jogo só mostrou o quanto o guri respeitou o clube e honrou demais a camisa gremista. Sai com tudo, vai por cima, deixa carisma, títulos e muita corneta no rival.

Valeu, Everton Cebolinha. Tu é grande demais nesse Grêmio.


Gabriel Pinto

Bom demais pra ser verdade

Foram 85 minutos de um BAITA grenal. Jogo jogado, disputado, corrido, intenso e com duas boas atuações dos times. Mas aí, parece que se deram conta que grenal é o maior clássico do mundo e resolveram mostrar para os 2 milhões de espectadores do facebook watch o que é a Libertadores e o que é um GREnal.

Estava bom demais para ser verdade, um jogo em que as duas equipes jogavam pra frente, ora o Grêmio dominando as ações como no início do jogo, ora com o Inter sendo mais incisivo como boa parte do segundo tempo. O Inter foi na Arena e nao ficou se defendendo e talvez isso tenha incomodado o Grêmio que tentou reagir, mas não fez uma partida de excelência. Só para ficar num exemplo, Everton, esteve muito abaixo do que gostaríamos.

Vale destacar a grandiosa atuação do Lucas Silva e os ótimos momentos de Jean Pierre, Matheus e Pepê, antes de toda a confusão.

Depois das expulsões, virou Futebol7. Nesses últimos 10 minutos o Grêmio dominou e criou a melhor chance, chute no travessão em uma assistência do Victor Ferraz para a conclusão Lucas Silva. Mas não foi suficiente para sairmos do 0x0.

Fiquei deveras contente com o jogo em si. Não tanto com a atuação do Grêmio e muito menos ainda com as cenas lamentáveis já quase no final da partida. É preciso distinguir raça e vontade de pancadaria sem cabimento. No saldo disso tudo teremos 3 desfalques na próxima partida da Libertadores. Apesar de serem reservas, Luciano e Pepê entraram bem no jogo ontem. Ainda estou um pouco decepcionado com o outro expulso, Caio Henrique, mas isso fica para outro texto.

É isso, saudamos o empate e o grande jogo. Ficará na história este GREnal e que venham outros.


Gabriel Pinto

Vitória na conta

Ora, ora, ora… Ontem vencemos como um clube de séria A deve vencer um clube do interior!

Qualquer outro resultado em casa deveria ser considerado vexatório. GRÊMIO e Esportivo vivem em planetas diferentes desde 1980! Percebi que o time começou a se soltar mais, as pernas não parecem mais tão pesadas, algumas jogadas já estão saindo “ao natural” e ele, Everton, o Cebolinha, está voando. Joga fácil! Tivemos as estreias de Diego Souza, fazendo um gol no melhor estilo centro-avante matador – estou oficialmente iludido –  e do Thiago Neves que mostrou que tem o toque refinado e que está disposto a jogar.

Foi um jogo didático! Na coletiva o Renato falou bem do Ricardo Oliveira. Isso só pode ser algum tipo de brincadeira, uma pegadinha do Mallandro, um elogio aleatório, algo para disfarçar o interesse em alguém que possa mesmo jogar no GRÊMIO! Ricardo Oliveira é muito retiro dos atletas pra mim. O cara vai fazer 40 anos! Ou estamos com pretensões de jogar o Bola-praia masters ou estamos pagando alguma dívida. O Ricardo era muito bom em 2007 (?) agora não dá mais. O time fica muito velho! Ele é 5 anos mais velho que os jogadores mais velhos do GRÊMIO, daqui a pouco vão convidar o Tcheco para fazer a meia. Vamos com calma aí!

E o gramado da Arena? Continua inexplicavelmente ruim! Só escrevi para lembrar mesmo. O GRÊMIO tem um jogo contra o Aimoré e define sua vida no primeiro turno do gauchão, deve terminar em modorrento e desinteressante GREnal. Onde ninguém quer perder e ninguém ganha se ganhar! Li que reclamam que os estaduais não dão mais público, isso fica meio fácil de entender! O nosso futebol é a cara do país, desorganizado e gerido por quem não entende absolutamente nada de entretenimento e não compreende a torcida!

Se não tem nem um adversário ou título que valha alguma coisa arrastar pessoas para um estádio segunda-feira às 20h é ilusão. Os caras olham o futebol europeu e querem imitar, mania de brasileiro de querer imitar tudo sem entender o que imita e o que levou o original a ser assim. É tipo o brasileirão de pontos corridos, fazer isso na Espanha que tem transporte, estrutura e distâncias ridículas é uma coisa, fazer no Brasil é burrice! Ainda vou retornar ao tema. 

Por hoje é isso, ou não! Bom dia, boa tarde, boa noite!

Anderson Kegler