Preparação

O Grêmio iniciou sua preparação para 2020 no dia 09 de janeiro. Os jogadores e comissão se reapresentaram e já iniciaram os treinamentos para mais uma longa temporada de futebol no Brasil. A gente sabe que aqui temos um calendário exaustivo e bagunçado, que provoca grande estragos em equipes, treinadores e clubes, e que quando a preparação não é feita direito, a tendência é de fracasso. A gente sabe, mesmo?

O filósofo e pensador Confúcio certa feita disse: “Em todas as coisas o sucesso depende de uma preparação prévia, e sem tal preparação o falhanço é certo.” Mas, aparentemente o Grêmio não leva isso como requisito básico para avançar na temporada. Nosso técnico, por motivos médicos, esteve afastado até o último dia 20 e o time principal já estreou no campeonato gaúcho no dia 22. Ou seja, desde a reapresentação, tivemos apenas 13 dias de preparação para já iniciar um campeonato que o clube julga importante.

13 DIAS. Isso mesmo, 13. Tem time de futebol de empresa que se prepara mais do que isso.

O resultado do primeiro jogo oficial mostra bem o que foi. Falta de ritmo, cabeças sem pensar, execuções mal feitas e uma derrota natural contra um Caxias que vinha treinando há mais de 30 dias.

Havia a necessidade de estrear os principais jogadores e os contratados já no dia 22? Com apenas 13 dias de trabalho? Esse ano não vai ter nem a parada para a Copa América, em Julho, para dar refresco aos atletas. Havia a necessidade de estrear no Gauchão com força máxima sendo que estamos mais do que sabidos que o campeonato é jogado, mesmo, à partir de final de fevereiro? Havia a necessidade da estreia antecipada dos profissionais já colocando-os sobre uma pressão descabida para o segundo jogo da temporada?

Perguntas que eu não tenho a resposta, mas que se tem alguém que provavelmente está certo no que disse, esse alguém é Confúcio. E ele não está lá no Grêmio, certamente.


Gabriel Pinto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *