O que é o grenal?

Não há nada mais gaúcho que grenal, dizem. Mas o que é o grenal?

O grenal é mais do que vencer, é derrotar o inimigo, é vê-lo destruído, mesmo que uma eventual vitória do outro não te atingisse (tu nem estás jogando aquele campeonato). Muitas vezes eu ouço ou leio que não somos inimigos, somos adversários. Discordo! O grenal nos tornou inimigos, nos tornou monstros incapazes de compreender o que é união, do que é ser vencedor por si só. Não conseguimos.O grenal nos torna sórdidos!

Não existe a ideia “a grandeza de um faz a grandeza do outro”. A competição faz crescer? Evidente, mas não se trata de competição, se trata de uma espécie de guerra e essa guerra vai muito além do campo. Ela toma a sociedade, a política, ela destrói nossos jovens que vivem mais para apedrejar uns aos outros pela grandeza do seu time que para estudar. Afinal, parece feio estudar em tempos que um governo doa terreno para clube de futebol e não consegue pagar os professores em dia. Nunca vi nada de bom que viesse do grenal. A grandeza do grenal é uma mentira repetida a exaustão. O reflexo social desse comportamento é tão forte e enraizado que a maioria nem percebe. Olhem os debates políticos e governos que se seguem, vivem mais de destruir o que faz o outro do que fazer algo de fato. É um eterno desmanche! O grenal é a causa e a consequência da nossa absoluta falta de bom senso, da falta de percepção com o outro, da nossa falta de educação.

É cansativo demais ouvir e ler sobre o nosso futebol gaúcho, é uma eterna derrota social ver pessoas que não sabem fazer uma calçada e não souberam administrar um aeroporto tentando falar e impor seriedade sobre um jogo. Futebol não é mais que um jogo, ele é só um jogo e se você discorda disso, te falta leitura e, principalmente, noção mínima de educação.

Vamos para grenais na Libertadores, o Rio Grande vai parar, dizem, e acho que isso diz muito sobre o Rio Grande. Sei lá…

Anderson Kegler

Final do primeiro turno!

Estamos na final do primeiro turno de um campeonato que mais atrapalha que ajuda, mas vamos lá!!

GRÊMIO x Caxias, Caxias x GRÊMIO, esse confronto já tem uma respeitável história no futebol. O Caxias tem tradição e com certeza não está vindo para brincar, joga em casa, diante da sua torcida.Vai ser uma peleia muito boa. Vale mesmo lutar para vencer. E até mesmo para testar o time num jogo com pressão.GRÊMIO vencendo facilita a vida e da uma moral para o time.

Toca ficha!


Anderson Kegler

Centro-avante tá aí pra fazer gol

O GRÊMIO venceu o GREnal, mas nem por isso deixou de ter uma atuação preocupante.

Errou gols, teve sua defesa envolvida pelo inter no segundo tempo (eles estavam com um a menos!) e estava perdido no meio-campo.Vi todo o jogo e digo que, salvo alguma mudança, Alisson não dá! Não dá, o menino é esforçado, mas não tem condição. Toda bola nele é jogada perdida. Lembro quando eu jogava futebol de campo lá no tempo que Paulo Egídio era craque, meu professor tinha uma frase ótima: toca no fulano e volta para marcar! E me parece o caso do Alisson, ou ele está sendo muito mal aproveitado, sei lá…

Diego Souza tem sido uma grata surpresa! 3 jogos, 3 gols, é isso que se espera do centro-avante, fazia tempo que o GRÊMIO não tinha centro-avante que fazia gols, os anteriores faziam de um tudo, menos gol. Gol não dava, gol não tinha como! Era um tal de volta pra marcar, ajuda na distribuição de bola, faz lançamentos, corre, é amigo das crianças.. mas gol, gol  não! Centro-avante tá aí pra fazer gol, se não faz, manda embora e contrata outro que faça. Se eu quisesse um meia, contratava um meia. 

O meio campo de GRÊMIO ainda está um bocado perdido, mas acho que isso se ajeita com o tempo, acho! Assisti também nesse final de semana a prova maior da nossa decadência completa, o gramado sintético do Palmeiras! Que coisa bem triste aquilo. Brasil, um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza, mas onde os competentíssimos (sim, sempre são pessoas muito competentes, que se tu ousa falar mal surgem uns 50 falando que ele entende muito do assunto) não conseguem manter gramado! É o fim da várzea!! Dei uma pesquisada e vi que na Suécia, eu disse: Suécia!, se joga com gramado normal. É muita falta de capacidade! E depois ousam dizer que num país desses, que não consegue cuidar nem da grama, tem time em outro patamar! Mas vão correr pra fazer vento! 

No mais vamos aguardar a final de sábado e ver se o GRÊMIO conquista a primeira fase do gauchão.. ( sério, um troço que não vale nem pra pagar a luz, tem mais de uma fase!)

Como diria o lendário Rafa Pinto: abraço de gol!


Anderson Kegler

Então tem GREnal

Estamos indo para o primeiro GREnal do ano. Temos um GRÊMIO em reconstrução e que, em certa medida, ainda não se acertou em campo e um inter que vem de uma classificação na Libertadores e já está focado no próximo jogo da Copa.

Tem tudo para ser um jogo ruim para mais de metro. Fica difícil de levar a sério o Campeonato Gaúcho sabendo que os dois principais times só jogam pelo dinheiro e para não perder.

Sim, o Gauchão é o famoso torneio do “ganhei, mas só vale porque não perdi”. É chato demais ver os jogadores em fase de pré-temporada correndo sem vontade e se machucando em jogos lamentáveis.O Brasil, de modo geral, consegue uma proeza no futebol: maio ainda é pré-temporada! Ainda dá pra contratar! Os campeonatos ainda não começaram de verdade. É tudo tão lamentavelmente desorganizado que conseguem espremer todos os campeonatos entre agosto e novembro. É só olhar!

Mas enfim, após reclamações de que meus textos não são mais aqueles, digo: GREnal não se joga, se vence! Pouco importa se for por 1×0 ou meio a zero, se for de pênalti, de chiripa, por sorte. Tem que ganhar! Uma das  melhores coisa de um GREnal é ouvir as explicações do lado que perde, são sempre as mesmas e são sempre engraçadas, porque, afinal, a culpa é sempre do juiz. #Risos

Dá-lhe GRÊMIO!!


Anderson Kegler

Idade avançada

Uma das minhas preocupações para a temporada, já deixei isso claro em outros textos, é a idade dos jogadores do GRÊMIO.

No jogo contra o Aimoré, o Maicon (eles não ligam pra gente!) tomou um drible de velocidade do atacante. Aquele drible ali tem nome e sobre nome: idade avançada! Ontem no jogo do #nossointer aconteceu a mesma coisa! Estamos com muitos jogadores velhos no time, me desculpem se são todos craques, mas se teu jogador de 35 não é o Cristiano Ronaldo ele será lento, vai cansar e tomará dribles.

Tenho pena do Matheus Henrique correndo como um desesperado na meia para cobrir Thiago Neves e Maicon! Diego Souza também não terá fôlego para voltar, ou terá? Sei que parece pessimista, mas assim como nas eleições presidenciais, é evidente o problema e quando as consequências acontecerem não adianta reclamar.

Tenho a impressão, só a impressão por enquanto, que depois do desmanche do time de 2017 o GRÊMIO não está achando o prumo e vive de jogadas do Everton e do Pepê, porque vamos falar sério sobre o Alisson: tocar a bola nele é matar a jogada, ou não? Acordei hoje com esse espírito “copero”, mas todo mundo tem seus dias de Sincerinha a Estrela! Acho que o GRÊMIO contratou bem, mas teria contratado melhor se tivesse contratado só um jogador mais velho, o Thiago, no meu entender. Mas vá saber… 

Era isso, mais cornetas em breve.

Anderson Kegler

Vem, base

Já escrevi aqui antes sobre o assunto “atletas da base” e seguirei batendo nessa tecla.

Na derrota para o Aimoré, novamente, o Grêmio entrou em campo com apenas um atleta vindo das categorias de base do clube: Everton. No banco tínhamos alguns “guris” dentre eles o Patrick e o Ferreirinha, mas não renderam o suficiente para serem titulares e também não contribuiram quando entraram. O Patrick é um caso bem estranho pois vem tendo oportunidades com mais frequência, chegou a ser titular em alguns jogos, mas parece estar abaixo da qualidade que gostaríamos de ver num atleta profissional.

“Serve para treinador covarde, que tem medo de colocar o time para frente.”

(PORTALUPPI, Renato. 2020)

Eu não sei o que o Renato quer quando fala esse tipo de coisa. Ou mostra desconhecimento de trabalho ou mostra que ele não tá nem aí se as respostas em coletivas vão satisfazer o torcedor. Existem diversas maneiras de colocar um time para frente e empilhar atletas dentro da área não é o mais eficaz, seguramente. O que faltou na derrota para o Aimoré não foi mais “coragem” para atacar. Foi organização e criação coletiva. Pontos que tangem o trabalho do treinador.

Pepê e Matheus Henrique voltam da seleção hoje e junto com o Caio Henrique vão ser os jovens atletas que devem ganhar espaço maior no time. Os “henriques” Matheus e Caio certamente deverão ser titulares mas o Pepê é uma incógnita. O Renato não muda o esquema do time, não treina alternativas e nesse esquema de hoje, Pepê continuará banco do Everton ou do Alisson. Eu gostaria de vê-lo titular, mas não sei se o nosso corajoso treinador o fará.

Aproveitando o embalo, o Globo Esporte fez uma matéria interessante sobre o aproveitamento da base nos clubes e esse levantamento não é tão bonito no nosso tricolor. Mesmo revelando atletas de qualidade nos últimos anos, só pra citar o Arthur, fica a dúvida: Estamos aproveitando mal a base ou o clube sequer está fazendo um bom trabalho? Esse ano de 2020 mostra que talvez ainda estamos longe do modelo ideal.

Seguimos.

Gabriel Pinto

Vitória na conta

Ora, ora, ora… Ontem vencemos como um clube de séria A deve vencer um clube do interior!

Qualquer outro resultado em casa deveria ser considerado vexatório. GRÊMIO e Esportivo vivem em planetas diferentes desde 1980! Percebi que o time começou a se soltar mais, as pernas não parecem mais tão pesadas, algumas jogadas já estão saindo “ao natural” e ele, Everton, o Cebolinha, está voando. Joga fácil! Tivemos as estreias de Diego Souza, fazendo um gol no melhor estilo centro-avante matador – estou oficialmente iludido –  e do Thiago Neves que mostrou que tem o toque refinado e que está disposto a jogar.

Foi um jogo didático! Na coletiva o Renato falou bem do Ricardo Oliveira. Isso só pode ser algum tipo de brincadeira, uma pegadinha do Mallandro, um elogio aleatório, algo para disfarçar o interesse em alguém que possa mesmo jogar no GRÊMIO! Ricardo Oliveira é muito retiro dos atletas pra mim. O cara vai fazer 40 anos! Ou estamos com pretensões de jogar o Bola-praia masters ou estamos pagando alguma dívida. O Ricardo era muito bom em 2007 (?) agora não dá mais. O time fica muito velho! Ele é 5 anos mais velho que os jogadores mais velhos do GRÊMIO, daqui a pouco vão convidar o Tcheco para fazer a meia. Vamos com calma aí!

E o gramado da Arena? Continua inexplicavelmente ruim! Só escrevi para lembrar mesmo. O GRÊMIO tem um jogo contra o Aimoré e define sua vida no primeiro turno do gauchão, deve terminar em modorrento e desinteressante GREnal. Onde ninguém quer perder e ninguém ganha se ganhar! Li que reclamam que os estaduais não dão mais público, isso fica meio fácil de entender! O nosso futebol é a cara do país, desorganizado e gerido por quem não entende absolutamente nada de entretenimento e não compreende a torcida!

Se não tem nem um adversário ou título que valha alguma coisa arrastar pessoas para um estádio segunda-feira às 20h é ilusão. Os caras olham o futebol europeu e querem imitar, mania de brasileiro de querer imitar tudo sem entender o que imita e o que levou o original a ser assim. É tipo o brasileirão de pontos corridos, fazer isso na Espanha que tem transporte, estrutura e distâncias ridículas é uma coisa, fazer no Brasil é burrice! Ainda vou retornar ao tema. 

Por hoje é isso, ou não! Bom dia, boa tarde, boa noite!

Anderson Kegler

Vencemos

Bom dia, boa tarde, boa noite!

Ontem o GRÊMIO apresentou novamente os problemas de pré-temporada. Não achei o time jogando mal, achei pesado! Parecia que as pernas estavam pesadas, que tentavam e não acertavam.

Fora o Everton, que é um fenômeno, e o Maicon (eles não ligam pra gente!), o resto do time parecia estar num rachão de fim de treino.Vencemos, embora para nossas pretensões isso seja o menos importante, e conquistamos os 3 pontos. Isso nos dá uma certa tranquilidade, pois parte da torcida reclama da existência do Gauchão, mas se não vencer reclama também. Enfim…

Volto ao assunto gramado! Não é possível que ninguém tenha ou queira dar solução para essa situação. Parece a grama do Ramiro Souto. O ingresso é caro demais para apresentarem aquela grama ali. Grama sintética não é solução e é assinatura de incompetência , embora incompetência seja a marca do gaúcho. O que esperar de um povo que é obrigado a entregar a administração do aeroporto para uma empresa estrangeira porque é incapaz de geri-lo. Achar que essas mesmas pessoas serão capazes de gerir outra coisa é um erro de quem acha.

E por hoje é só pessoal! 

Anderson Kegler

Começou o ano!

A organização do menino futebol brasileiro é uma triste comédia que só agrada quem faz de conta que não sabe o mal que ela faz.

Nem a TV mais aguenta algumas coisas! Essas pré-seleções, jogando pré-torneios, com pré-objetivos são  extremamente cansativos. Mas os pré nos levam alguns excelentes jogadores. É importante lembrar que jogadores de pré quando ficam “adultos” não jogam mais entre nós, logo não vemos eles nem agora nem depois.

Fora o fato de que perdemos jogadores importantes, pois os campeonatos não param. Brasil, um país de que só pode estar de sacanagem.

Sobre o Gremioso: O GRÊMIO jogou dois jogos mal, mas é pré-temporada, tem muito por fazer, muito o que por em pauta no treino. Tenho, por mim, que devemos pensar em Libertadores e Copa do Brasil. O Gauchão, salvo alguma excrescência, será decidido em dois lamentáveis e desnecessários GREnais. Contratamos o Thiago Neves e o Diego Souza, que ao contrário do que seria em outros tempos, precisam provar a que vieram. Ambos tem alguma idade, não vem de grandes jornadas e mudarão o estilo de jogo rápido (era assim que deveríamos jogar até hoje, né?) praticado pelo GRÊMIO.

Obviamente torcemos muito por eles, quero o melhor futebol de Thiago e Diego no GRÊMIO. Se jogarem temos boas referências em campo. No mais aguardem os Mesas de Bar do GRÊMIO!

Volto em breve.

Anderson Kegler

A base vem forte?

Com a chegada de Thiago Neves e a iminente aquisição do Diego Souza, Renato em entrevista coletiva no pós-jogo contra o Brasil largou essa: “Gostaríamos de buscar jogadores mais jovens, mas cadê? A gente tentou buscar, pensamos e procuramos, mas não tem. É um problema até na Seleção Brasileira, então eu peço que o torcedor compreenda”.

Obviamente que essa afirmação deve ao menos ter colocado uma pulguinha atrás da orelha de muitos jovens atletas da base do Grêmio. Serão eles aproveitados no elenco principal ou pela avaliação do departamento de futebol e do treinador esses “jovens” não são capazes de garantir o resultado ali na frente?

Eu fiquei com essa pulga e resolvi fazer uma pesquisa rápida com relação a quantidade de jogadores da base que vem sendo aproveitados no time principal e não foi surpresa que isso foi diminuindo ao longo dos últimos anos. Como base, tomei informações do site do Grêmio (que nem sempre está completo) e de alguns portais quando do início da temporada de cada ano, desde 2016, podendo haver um erro com marge de 2 pontos pra cima ou pra baixo. Neste ano de 2016, foram 18 atletas da base iniciando a temporada (levei em conta o Ramiro, que é gremistão) e ao final da mesma, na grande decisão da Copa do Brasil contra o Atlético MG, tivemos nada menos que 13 jogadores relacionados para a final, sendo 5 titulares (Grohe, Walace, Ramiro, Everton e Luan) e um reserva que entrou no jogo (Jaílson).

2017 iniciou-se com 19 atletas da base no elenco principal. Dessa vez estou levando em conta Ramiro e Bressan. Começar o ano com o título da Copa do Brasil tirou um peso do clube e a base pode ser mais utilizada com bons resultados. Na final da Libertadores, contra o Lanús, 6 jogadores titulares que estavam em campo eram da base tricolor (Marcelo, Bressan, Jailson, Arthur, Ramiro e Luan) e 1 ótimo jogador estava no banco: Everton. Thyerre, o 8º jogador da base relacionado ainda entrou no segundo tempo para segurarmos o tri da Libertadores.

Bom, aí veio 2018 e o título da Recopa logo no início. Mas será que o LEGADO da base acabou? Fomos atrás de alguns atletas mais “cascudos” e a base foi perdendo espaço. 11 atletas oriundos da base se apresentaram e na fatídica eliminação para o River Plate na semi-final da Libertadores em outubro daquele ano tínhamos apenas 2 jogadores da base em campo: Grohe e Ramiro. Everton e Bressan entraram no segundo tempo (nem gosto de lembrar) e Luan estava machucado. Mais nenhum atleta da base esteve relacionado nesse jogo.

O texto já está longo, mas longo não foi a lista de atletas da base em 2019. Apenas 9 atletas iniciaram no elenco principal e eu não podia de deixar o horrendo confronto contra o Flamengo fora da avaliação. No campo do Maracanã na nossa eliminação na Libertadores foram apenas 2 titulares da base em campo: Matheus Henrique e Everton. Pepê ainda entrou e Jã Pierre e Luan estava machucados. No banco, até tinhamos alguns atletas da base, mas foram preteridos. Rodrigues, Darlan e Patrick entre eles.

Chegamos em 2020 e a lista de atletas da base chegou a 12. Destes, Megiolaro, Matheus Henrique e Pepê estão servindo a seleção sub-23 e não vão jogar com o tricolor até início de Fevereiro. Considerando que o Grêmio contratou um goleiro de 35 anos e manteve Paulo Victor e Julio Cesar, Megiolaro não verá a cor do barbante titular tão cedo.

No jogo do último final de semana, vitória de 1 a 0 sobre o Brasil de Pelotas com apenas 2 titulares oriundos da base: Everton e Patrick. Podemos considerar que Matheus Henrique seria titular, que o Pepê provavelmente seria uma opção no banco e ainda tínhamos Darlan, Isaque e Ferreirinha que entraram no decorrer da partida.

Não dá pra ser conclusivo com esta análise, mas eu consigo ver uma tendência em dois sentidos: 1. Ou a base tricolor perdeu em qualidade ou não tem sido aproveitada o suficiente. Se quando tínhamos mais jogadores “jovens” em campo conquistamos Copa do Brasil e Libertadores, o que levou ao comando técnico optar por jogadores mais “cascudos” e “experientes”, quando isso não foi suficiente nas temporadas 18 e 19?

Wanderlei, 35 anos. Victor Ferraz, 32 anos. Thiago Neves e Diego Souza, 34 anos. Será que nenhum jogador da base seria capaz de fazer o que esses veteranos fazem? Não me parece a escolha ideal apostar tão alto mas só saberemos ao final da temporada.

Até lá, torceremos.


Gabriel Pinto

Viúva do Marcelo

Foi logo em janeiro de 2019 que tive um dos dias mais tristes do ano, futebolísticamente falando. As redes sociais do clube da Arábia Saudita Al-Ittihad anunciavam Marcelo Grohe como contratação. Lesionado com uma fratura na costela, Marcelo foi contratado seduzido por PETRODÓLARES e por uma experiência internacional. Goleiros não recebem tantas oportunidades quanto jogadores de outras posições, isso é fato.

Marcelo Grohe, além de ser “cria da base” gremista, gozava de uma regularidade invejável. Títular do Grêmio desde 2014, é o quinto goleiro com maior série invicta no campeonato brasileiro (803 minutos sem sofrer gols). No mesmo ano fez sua primeira grande defesa em uma partida contra o Fluminense, foi essa a primeira vez que Gordon Banks teve que atender uma ligação e ver o garoto de Campo Bom ser comparado com ele, esse telefonema se tornaria recorrente. Uma Copa do Brasil, uma Libertadores da América e uma Recopa depois, MILAGROHE faz mais um belo ano de 2018 e uma infeliz desclassificação na Libertadores para o River Plate lhe rendeu também a já comentada fratura na costela. Grohe foi viver seu longo período na Arábia e mesmo contra a lógica volta a jogar em um ótimo nível. 

A sua saída foi sentida, mas entendida pela maioria da torcida. Grohe viveu tudo dentro do clube e apenas nele, queria algo diferente e em um ano que iria contribuir muito pouco foi lesionado viver sua “noite na arábia”. O sorriso do goleiro de 33 anos fez da noite dia e a torcida do Al-Ittihad hoje também sorri ao presenciar os milagres, mesmo impedidos de promover um culto à imagem de Milagrohe por motivos religiosos, mais uma das vantagens que nós brasileiros possuímos. Nosso “jeitinho brasileiro” permitiu vivermos tempos de loucura e culto ao maior goleiro que vestiu a camisa tricolor (que me perdoem Lara, Mazarropi e Danrlei, mas esse é um texto ufanista).

Eu sei que é difícil, mas meu coração vive eternos momentos de esperança com um retorno triunfante de sua peregrinação pelo oriente médio. Mas a razão sabe que é difícil e teme ainda que o goleiro saia do país da família Saud e vá para vôos ainda maiores no velho continente. 

Infelizmente, Gordon Banks faleceu em fevereiro de 2019 e não poderá atender mais uma ligação para falar de uma nova defesa de Marcelo. Não duvido que o clássico guarda-redes inglês teria dito, “Quem sabe vocês contratem esse garoto para jogar aqui na terra da Nossa Majestade de uma vez e parem de me ligar!?”. 

Lá no twitter coloquei o vídeo da defesa de Marcelo Grohe. Saudades do meu Ex-goleiro Marcelo Grohe.
https://twitter.com/faneinbox/status/1221402415888584704


@faneinbox

Preparação

O Grêmio iniciou sua preparação para 2020 no dia 09 de janeiro. Os jogadores e comissão se reapresentaram e já iniciaram os treinamentos para mais uma longa temporada de futebol no Brasil. A gente sabe que aqui temos um calendário exaustivo e bagunçado, que provoca grande estragos em equipes, treinadores e clubes, e que quando a preparação não é feita direito, a tendência é de fracasso. A gente sabe, mesmo?

O filósofo e pensador Confúcio certa feita disse: “Em todas as coisas o sucesso depende de uma preparação prévia, e sem tal preparação o falhanço é certo.” Mas, aparentemente o Grêmio não leva isso como requisito básico para avançar na temporada. Nosso técnico, por motivos médicos, esteve afastado até o último dia 20 e o time principal já estreou no campeonato gaúcho no dia 22. Ou seja, desde a reapresentação, tivemos apenas 13 dias de preparação para já iniciar um campeonato que o clube julga importante.

13 DIAS. Isso mesmo, 13. Tem time de futebol de empresa que se prepara mais do que isso.

O resultado do primeiro jogo oficial mostra bem o que foi. Falta de ritmo, cabeças sem pensar, execuções mal feitas e uma derrota natural contra um Caxias que vinha treinando há mais de 30 dias.

Havia a necessidade de estrear os principais jogadores e os contratados já no dia 22? Com apenas 13 dias de trabalho? Esse ano não vai ter nem a parada para a Copa América, em Julho, para dar refresco aos atletas. Havia a necessidade de estrear no Gauchão com força máxima sendo que estamos mais do que sabidos que o campeonato é jogado, mesmo, à partir de final de fevereiro? Havia a necessidade da estreia antecipada dos profissionais já colocando-os sobre uma pressão descabida para o segundo jogo da temporada?

Perguntas que eu não tenho a resposta, mas que se tem alguém que provavelmente está certo no que disse, esse alguém é Confúcio. E ele não está lá no Grêmio, certamente.


Gabriel Pinto

Contratações e um pitaco

O GRÊMIO está em busca de alguns jogadores para suprir suas carências pontuais (?).

Ano passado durante alguns jogos ficou evidente que ao time faltavam peças para desenvolver o futebol proposto e sonhado pelo treinador. Eu sou fã de futebol, mas existem muitas possibilidades de futebol. Nos anos 90, alguns vão lembrar, o Palmeiras tinha uma verdeira máquina, muito superior a este Flamengo que agora é o “noooooooossa” do momento, o time a ser copiado, o destruidor de jogos, o invencível… e outros adjetivos usados para enaltecer um time que jogou menos de 6 meses e tem um orçamento irreal.

Bom, eu que lembro dos anos 90, digo que o GRÊMIO há época superou o Palmeiras! Como? Jogando um outro futebol, um futebol diferente do futebol do Palmeiras. Acho que é isso que deveríamos procurar agora. Um time que jogue um outro futebol. Um futebol de força, mas aliado a técnica… Mas isso é só uma tese meio saudosista.

E não estou defendendo a fase do “nosso 10 é o 5”! Sobre as contratações acho que o GRÊMIO acerta com os que já vieram e tem boa chance de acertar com Thiago Neves, se, eu disse: SE, ele jogar o futebol que o consagrou. Fico um pouco temeroso pois nosso meio campo terá 2 jogadores de 35 anos, e acreditem eu sei que a idade pesa. Ventilaram o Diego Souza, eu era fã dele, mas 2007, passaram 13 anos! Acho que não vale mais o investimento e o time começa a ficar muito velho na média, seria outro jogador de 35 anos no time.

Jogar Libertadores, Copa do Brasil, Brasileirão com ânimo de vencer tendo no grupo 4 jogadores (Geromel também tem 35) com 35 anos, ou seja, no, talvez, último ano de suas carreiras é um pouco arriscado. Mas tudo isso eu acho! Vai que contraria todas as estatísticas e dá certo. Era isso, ou não. 


Anderson Kegler

Buenas povo tricolor!!!

Estamos de volta com nossos textos maravilhosos.Vamos falar de duas coisas: o jogo e a grama da Arena.

O GRÊMIO jogou ontem no estado “pré-temporada começando mesmo erros do ano passado”. Não teria como ser diferente! Vi o Kannemman correndo como louco, fora de posição e errando alguns botes. O meio campo ainda sem saber a hora do toque certo para o ataque, está faltando liga no time. Mas considerando (e acreditando) que estamos num trabalho de reestruturação do time e nos organizando para um ano pesado, mas com conquistas, está tudo ok.

Espero, obviamente, que tudo vá se ajeitando com o passar dos treinos. Dá pra ver que tem qualidade, tem toque de bola. O GRÊMIO mandou no jogo, só falto o algo a mais do treino.

Quanto ao gramado. Alguém consegue explicar aqueles buracos na grama? Porque não vão me dizer que falta de sol!! Se na Inglaterra, onde chove 2537 dias por mês, os gramados são perfeitos, não há desculpa para grama ruim no Brasil. Colocar grama sintética é o atestado máximo da incompetência! Se coloca grama sintética no Brasil, o administrador responsável por isso deve pedir demissão, mas não do cargo só, da vida! É muito fracasso!! Tá loco! Odeio aquelas caras com fala mansa dizendo: ain, mas a grama sintética é mais barata e não atrapalha o futebol.. Meu, vai jogar o handbol de capacete e sai do futebol! Ponto! (ainda falarei nisso de novo)

O GRÊMIO está na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, um feito e tanto. Vamos encarar um GREnal, num horário inexplicável – Sábado 10h da manhã! Estamos torcendo muito pela nossa base!

Era isso por hoje. Estava com saudades de escrever.

Dá-lhe GRÊMIO! 

Anderson Kegler

Recomeçar

É difícil tomar a decisão de recomeçar. Hesitamos na maioria das vezes por achar que o recomeço tem a ver com alguma frustração anterior e parte-se para uma nova tentativa.

Recomeçar um blog. Sobre o Grêmio. Depois de muito tempo parado. Será?

Mas cá estamos. Para um novo começo. Acompanhar o tricolor na forma de textos, novamente. Expôr aqui o que pensamos e o que acreditamos no clube que torcemos. Seguiremos abrindo espaço para o torcedor, continuaremos a dedicar nossos preciosos minutos para colocar pra fora a opinião, nem sempre modesta, sobre o nosso Grêmio.

Divulgaremos, ouviremos, publicaremos o que for relevante, oportuno, gratificante, elegante. Até a pé nos iremos, para o que der e vier, de novo.

Saudações tricolores. Sempre Imortal.